fbpx

Quem gosta das bikes da Santa Cruz agora pode ficar contente. E quem gosta de Hardtails pode ficar ainda mais. Chega ao mercado uma máquina de tirar sorrisos do rosto. A marca acaba de lançar a nova Santa Cruz Highball. Uma bicicleta de XC ainda mais leve e moderna que sua antecessora.

A proposta da Santa Cruz é uma hardtail totalmente remodelada, ainda mais leve e responsiva aos comandos dos pilotos.

Santa Cruz HighBall. Quadro com Linhas Suaves num Design Agressivo

A bicicleta é belíssima, de um acabamento primoroso com tudo que se espera de uma máquina desta gama. Cabeamento interno, linhas suaves e ângulos fluídos. Todo desenho bem definido e que faz sentido. É uma daquelas bicicletas em que você pára, e quer observar cada detalhe.

A Hardtail Highball Evoluída

A Santa Cruz conseguiu trazer na sua nova Highball uma abordagem mais favorável a pilotagem. Mais ainda do que trazia em sua hardtail antecessora.

Mais leve e com uma geometria única, a bike se mostra muito acertada para a proposta de um legítimo XCO. A Highball chega com quadro de cerca de 1kg no tamanho L e 8,99kg de peso total em uma de suas versões.

Carregando esse puro sangue de corrida com toda sua tecnologia, a Santa Cruz consegue definitivamente – se por acaso ainda restasse dúvida disso a alguém – mostrar que sabe fazer bikes de XC tanto quanto as renomadas Mountain Bikes de Enduro e All Mountain, pelas as quais a marca é mundialmente reconhecida.

A Estrutura da Santa Cruz Highball

Com um triângulo traseiro mais curto, aliado ao eixo boost a bike consegue não só um conjunto mais rígido, como também mais responsividade aos comandos do ciclista. Isso garante que praticamente toda a força exercida nos pedais cheguem as rodas, sem perdas e com muita eficiência.

Olhando esse frame, imagino que será uma hardtail que quase clama por pedaladas fortes, em pé ao final dos morros, das pistas e das estradas. Uma bike daquelas onde todo dia dá vontade de acelerar, como se fosse um dia de corrida.

Fica claro que na nova Highball a Santa Cruz não quis apenas fazer um novo quadro, mas sim um novo quadro melhor. Para mim, isso foi quase como uma resposta, um recado ao mercado. Um excelente carbono e belíssima construção, garantindo rigidez e o melhor, sem limite de peso.

A Santa Cruz Highball Poderá ser Uma Excelente Escaladora?

Se conheço bem de geometria de bike, posso quase afirmar que temos aí uma excepcional escaladora. Me agrada muito essa geometria sloop com o triângulo curto, menor ângulo entre o SeatStay e o chainStay, além de um fantástico encurtamento nessas medidas. Duas características que sozinhas já transformam qualquer bike num “cabritinho”.

Certamente uma bike para subir cotovelos inclinados e fechados com certa facilidade, sem perda de potência do pedal para as rodas, como já dito. Por tanto, novamente merece menção o acertado triângulo casando com a tecnologia do eixo boost.

Medidas novas no Head Tube. Uma Highball Mais Espertinha.

O ângulo do Head Tube com 69.5º obviamente não à enquadra na bike mais confortável do mundo. Mas ora, já disse que falamos de um cavalo puro sangue, e sabemos que esses animais são assim ariscos mesmo.

Uma hardtail que quer se tudo, pode acabar sendo nada. E a Santa Cruz demonstra saber muito bem disso.

Esse novo ângulo é o que certamente vai ajudar a deixar essa bike tão responsiva e ágil. Apenas a título de comparação, o modelo anterior segurava os 70.5º de ângulo do Head Tube.

Não só de subidas e curvas fechadas se faz uma bike campeã. Pra compensar esse novo ângulo agressivo do Head Tube da Highball, a nova Santa Cruz traz um Top Tube mais longo. Pois dessa forma, a bike busca um pouco mais de segurança, ou ao menos, não passar a sensação de que o piloto será lançado a frente nas descidas mais íngremes e técnicas. Uma excelente combinação que permite qualquer piloto de cross country abusar mais das descidas, ou seja, além de uma excelente escaladora, temos uma bike segura para encarar as descidas.

Acha pouco? Dois modelos da Santa Cruz Highball, vem equipadas com rodas de 25mm em carbono. Aros mais largos que conferem mais grip e segurança, e ainda muito mais conforto. Principalmente com os pneus 2,25 que equipam essa bike.

Uma Highball Mais Arisca

A distância entre eixos também diminuiu consideravelmente, se o piloto conseguir perceber isso, pode ajustar o centro de gravidade e ter ainda mais a bike nas mãos. O fusão entre piloto e bike criam ainda mais sinergia e a resposta da pilotagem é quase simbiótica.

A medida do Top Tube do modelo anterior da Highball no tamanho XL era de 650mm, contra os atuais 674mm. Você deve estar pensando: Uau! Mas como encaixaram esses 24mm extras.

Pois bem, foi aí que os engenheiros da Santa Cruz justificaram seus salários. Trazendo a 73º o ângulo do Seat Tube, aconteceu a mágica e a coisa… encaixou.

Claro, não aconteceu milagrosamente, sabemos. Nem tão pouco coincidência. Tudo vem se conectando desde o papo do triângulo menor e mais baixo. O raciocínio dos caras começa a fazer ainda mais sentido.

Um ciclista de habilidade média vai se encontrar rapidamente nas descidas com a Santa Cruz Highball. Só mesmo uma questão de costume, posso dizer.

Construíndo Uma Highball Com Mais Confortável

A Santa Cruz Highball é confortável e pode inclusive encarar longas distâncias, incluindo três pontos suporte de caramanholas, um no seat tube, e outros dois no down tube.

Outra coisa a se dizer, o ângulo do Seat Tube ainda continua a influenciar na geometria final da bike. O Chainstay mais paralelo ao solo reflete em melhor leitura do terreno, o que pode trazer pra essa bike, em teoria, mais conforto.

Pra ficar mais fácil de imaginar, vamos pensar que a traseira vai quicar menos. Se não estiver enganado e isso se confirmar, temos menos retorno das vibrações para o piloto.

A Santa Cruz Highball Pode ser Uma Boa Bike de Passeio?

Penso que sim, é perfeitamente possível fazer pedais ou provas de XCM com uma bike assim. Aliás, não seria novidade para o ciclista médio brasileiro. Por aqui é comum encontrar máquinas de XCO em passeios e até mesmo em jornadas mais longas.

Parecemos não nos importarmos muito com isso, se a contrapartida for a certeza de ter uma bike responsiva e ágil quando solicitada.

O quanto de suco um piloto menos habilidoso pode tirar de uma bicicleta como essa geometria é questionável. Definitivamente, ele foi concebida para ser agressiva. Por outro lado, quem se importa? Cada um usa sua bicicleta de acordo com o seu perfil.

Se você optar por uma Santa Cruz Highball imagine que você tem espaço quase ilimitado para crescer em técnica e habilidade de pilotagem.

Só encontrei no site gringo e no brasileiro da marca versões do frame em carbono. Não ví também versões com duas coroas. Mais um indício de que é uma puro sangue XCO impossível.

Encontrei imagens em duas cores, uma cinza clarinha bem discreta. Outra roxa, mais escura, bem diferente e bonita também

A Santa Cruz ainda disponibiliza a compra apenas do quadro, o que é bacana para quem já tem uma bike pronta e quer apenas fazer um upgrade no quadro.

Sempre vejo isso de uma forma positiva e democrática. Valorizo marcas que adotam essa política.Conclusão Café na Trilha

Conclusão Café na Trilha

Estamos ansiosos para ver essa bike rodando por aqui em nossas trilhas. Concordamos que se trata de uma bela maquina, sem duvida alguma.

Sua versão de gama superior tem um grupo de encher os olhos, e pode sair da loja sem personalização alguma com apenas 8.99kg, como já dissemos.

A versão mais básica – se é que podemos chamá-la assim – vem com um honesto grupo SRAM NX, Suspensão FOX Rhythm 32mm com 100mm de curso. Aros WTB e Raios DT competition e outras coisinhas mais. Ou seja, só montar e pedalar. Ela pesa apenas 10.9kg, se quer saber e tem espaço para alguns ups sem muitos gastos.

Também temos forte expectativa quanto a performance. O modelo que antecede essa Highball já falava alto, por tanto, é de se esperar que a nova Highbaall deixe ainda mais competitivo o mercado de bicicletas hardtail XCs de competição.

Preços completos para bicicletas:

  • R$ 16.990,00 Com grupo SRAM NX;
  • R$ 21.990,00 com o SRAM GX Eagle;
  • R$ 24.990,00 com XT
  • R$ 31;990,00 com XO1;
  • R$ 37.990,00 com XO1 e rodas de Carbono Reserve;
  • R$ 44.990,00 com XX1 Eagle e Rodas de Carbono Reserve
[wp_bannerize group="Banner MXbikes" no_html_wrap="1" categories="3,9,17" random="1" limit="1"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *